Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Macaco Experimentar

Macaco Experimentar

Se nada existisse, quanto anos precisávamos para construir o iPhone?

Vamos imaginar, por um momento, que uma bruxa decidecastigar a humanidade, seja por que razão for. Ela destrói tudo o que foi feitopelos humanos, e envia-nos para o ano 200.000 AC. Para voltar tudoao normal, "só" precisamos de fazer uma coisa: construir um iPhone 6s perfeito. A pergunta é: quanto tempo achas que precisávamos para construir o iPhone?

iPhone 6s. Imagem retirada de apple.com.
Não inventei este cenário. Esta pergunta surgiu estasemana no meu blog favorito, o WaitButWhy e, como achei interessante, decidi partilhá-la n'O Macaco de Imitação. Pensa um bocado sobre ela antes de ler a minha resposta. Fico à espera dos teus pensamentos nos comentários abaixo.

Para começar, se há um minuto estávamos no quentinho da nossa casa,agora estamos no meio da floresta, ou da praia ou do deserto, sem nada que nosproteja, e completamente nus. Nas primeiras semanas, morreriam muitas pessoas – há um excesso de população para os recursos atuais. E a maior parte da população não sabe como fazer uma fogueira, ou caçar ou plantar para recolher mais tarde. Mas, com sorte, algumas pessoas saberiam fazê-lo e poderiam formar-se comunidades. Nas pequenas povoações do planeta, a vida podia ser mais fácil,porque temos poucas menos pessoas e, por isso, menos competição. O problema é que, muito provavelmente, as pessoas com o "know-how" para fazer o iPhone estariam concentradas nas cidades e, a menos que fossem protegidas, esse conhecimento podia perder-se para sempre.

Asseguradas as condições básicas de vida, estaria na altura depensar em construir o iPhone. Teríamos desaber todos os materiais que precisávamos para a sua construção, os métodos defabrico, e até todas as especificações do iOS. Não é tarefa fácil. Partindo do pressuposto que as pessoas que melhor conhecem o iPhone não morreram nasprimeiras semanas, ou meses, deste novo mundo, há que começar a fazer olevantamento de todas as características do 6s. Teriam de começar a escrevê-lasnalgum lugar, e portanto teriam de ser inventados, rapidamente, o papel e o lápis. Nãopoderiamos correr o risco de perder essa informação porque alguém foi comido por um leão.

Mas o quão difícil é construir o iPhone 6s? Atualmente, os materiaispara o seu fabrico vêm de todas as partes do mundo, e toda a sua construçãoenvolve centenas de milhares de pessoas direta e indiretamente. Não temosinternet nem telemóveis para coordenar esses esforços. Passar qualquer tipo deinformação para o outro lado do globo demoraria vários anos. E para fazerqualquer coisa "simples", tal como a aplicação dos contactos do iPhone, precisávamos deprogramar e, por isso, precisávamos de computadores, e de fábricas que façamcomputadores, e dos materiais que constituem os computadores, e de eletricidade, eda extração de combustíveis fósseis, e…tudo. Para fazer o iPhone 6s precisávamos de inventarquase tudo o que existe em 2015.

Na minha opinião, não íamos conseguir fazer o iPhone e voltar ànormalidade. A tarefa "morria" nos primeiros meses, quando os humanos não conseguissemsequer reunir todas as especificações do telemóvel. Talvez essas informações nãose encontrem na mente coletiva da humanidade. Talvez existam nos computadores da Apple ou num qualquer dossier que, nesta nova vida, não existe. Além disso, precisávamos de re-inventar muitas tecnologia só para concluir este projeto. Esse seria um trabalho demasiado complexo. E coordenar todas as pessoas doglobo seria um trabalho, só por si, megalómano. Para não falar do que era preciso para nos mantermos vivos, como ter água potável, roupa e fontes de proteína e hidratos.

Depois de dezenas e centenas de anos, o projeto doiPhone passaria a ser um mito. Passados 1000 anos, a história do castigo da bruxa seria contada em tom de brincadeira, sem ninguém acreditar que alguma vez issotivesse acontecido. A humanidade iria evoluir num outro sentido, e talvez umdia, 2000 ou 3000 anos depois, lá inventássemos uma coisa parecida com o iPhone6s.

Mas talvez esteja a ser pessimista. Talvez a sociedade conseguisse reunir os esforços para fazer o iPhone. O que achas? Quantos anos precisávamos para atingir esse objetivo e voltar à vida normal? Fico há espera do teu comentário.

7 blogs nacionais e internacionais que vais querer ler

referi n'O Macaco de Imitação o meu gosto pela leitura. A ler aprendemos mais sobre o mundo que nos rodeia. A ler ficção somos projectados para mundos diferentes onde tudo é possível e a ler não-ficção conhecemos histórias sobre pessoas que fizeram coisas incríveis e aprendemos mais sobre nós mesmos.

Além de haver grandes livros por aí, há blogs incríveis com projetos muito interessantes. Esta semana apresento-vos uma série de blogs nacionais e internacionais que costumo seguir e que vos recomendo.

1. Por Falar Noutra Coisa

Dos melhores blogs de humor Portugueses da atualidade! Não acreditas? Então segue o link e fica a conhecer este blog onde Doutor G, licenciado em sexologia, "explica como se faz". Além de grandes artigos de humor, Por Falar Noutra Coisa tem artigos sobre o (mau) estado de coisas em Portugal e alguns artigos mais sérios e que puxam mais ao sentimento. Por Falar Noutra Coisa é a prova que há bons bloggers em Portugal.

2. Wait But Why

Este é o tipo de blog sobre ciência que "não lembra a ninguém". Wait But Why aprensenta-nos posts muito malucos, ao mesmo tempo que também nos apresenta alguns artigos mais sérios. Neste blog americano podemos ficar a saber porque é que a geração Y é a mais infeliz, como escolher o nome para um filho, porque é que ainda não fomos visitados por extraterrestres, entre outros.
Ilustrações que acompanham os post de Wait But Why.
Além disso, os posts são MUITO divertidos, sempre acompanhados de desenhos para ilustrar os pontos fundamentais e estão muito, mas mesmo muito bem escritos. Os posts de Wait But Why são gigantes, mas isso não afasta os 120.000 subscritores do blog e os 200.000 fãs da página do facebook. Isto só prova que os posts têm muita qualidade e que vale a pena passar uns largos minutos a ler essas obras de arte.

3. High Existence

Este blog fala maioritariamente sobre desenvolvimento pessoal. Tem grandes posts sobre psicologia, problemas sociais e livros. High Existence não é o típico blog em que os artigos sobre desenvolvimento pessoal são apresentados de uma maneira vazia de conteúdo. Tem de facto grandes posts com informação de qualidade, como por exemplo este artigo sobre hábitos. Eu sei que estes posts são bons porque apresentam a informação de forma cuidada e detalhada (e por isso são grandes), ao contrário de outros blogs que fazem por dia imensos posts com títulos muito sugestivos, mas que depois são pequeníssimos e dizem sempre a mesma coisa. Aconselho vivamente o High Existence.

4. Próxima Viagem

Neste blog Português temos tudo sobre viagens e sobre sair de casa e visitar o que há de bom em Portugal e lá fora. Temos ainda notícias, gastronomia, curiosidades, fotografia, voluntariado, entre outros. Próxima Viagem é um daqueles blogs portugueses que só faz é bem acompanhar.

5. The Art of Non-Conformity

The Art of Non-Conformity foi criado por Chris Guillebeau, que a certa altura visitou todos os países do mundo! Este blog fala sobre viagens, sobre desenvolvimento pessoal e contém muitas dicas para quem quer começar o seu próprio negócio. Além deste blog, Chris Guillebeau escreveu alguns livros, sendo um deles aquele que estou a ler de momento, The 100# StartupVais ficar inspirado seja ao ler o blog ou qualquer um dos livros de Chris Guillebeau. E cuidado com alguns dos seus posts! Pode ter como consequência largar tudo e ir viajar.


Chris Guillebeau. Foto retirada de http://chrisguillebeau.com/

6. Zen Habits e 7. Om Swami

Zen Habits e Om Swami são dois blogs que dão dicas sobre como relaxar e viver de maneira mais simples e feliz. Além disso, apresentam algumas maneiras de melhorar a nossa produtividade todos os dias para que possamos ter mais tempo para fazer as coisas que são mais importantes para nós.

Estes blogs são apenas 7 dos muitos projetos com enorme qualidade espalhados pela net. Se não costumas ler blogs, porque não experimentar? Acho que vais ficar muito surpreendido pela positiva.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.