Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Macaco Experimentar

Macaco Experimentar

Os 8 elementos do Flow - a chave para a felicidade

Olho para o horizonte e reparo na onda que aí vem. Começa a perseguição. Remo o mais que posso e coloco-me no sítio certo. Ganho velocidade, agarro a prancha com as duas mãos e ponho-me de pé. Faço uma sucessão de manobras e mal posso acreditar na qualidade da onda. Ao final de 20 segundos já estou a remar para o outside para tentar apanhar outra destas.

O surf é uma das experiências que me provoca Flow. O Flow acontece quando estamos completamente concentrados numa atividade. Nesses momentos, perdemos a noção do tempo e não pensamos em quaisquer problemas que possamos ter. Estamos a fazer aquilo que mais gostamos e só isso é suficiente. Segundo Mihaly Csikszentmihalyi, esses são os momentos mais felizes da nossa vida, e também aqueles em que nós mais crescemos.


Mihaly Csikszentmihalyi, o "pai" do Flow. Imagem retirada de http://www.marianotomatis.it/
E se o Flow nos traz felicidade e crescimento, devemos maximizar o tempo que aí estamos, certo? Este artigo descreve os 8 elementos desta experiência, e como podemos transformar qualquer atividade em Flow.

Os elementos do Flow

1. Objetivos bem definidos

Para atingir o Flow, a atividade tem de ter, em primeiro lugar, objetivos muito claros. Ao surfar, e dependendo do nosso nível, o objetivo poderá ser conseguir ficar em cima da prancha ou fazer um tubo. Devemos começar uma atividade que possa ser acabada e fixar objetivos pequenos, que possam ser cumpridos rapidamente. Sentir que estamos a evoluir numa atividade é muito importante para a nossa motivação. 

Depois de uma experiência de Flow, a pessoa sente que melhorou as suas capacidades e que cumpriu os seus objetivos. Isso motiva-a para continuar, neste caso, a surfar. 

2. Concentração na atividade

Durante o Flow, toda a nossa atenção está concentrada na tarefa que realizamos. Parece que mais nada interessa senão o que estamos a fazer. E alguém pode vir falar connosco que não a conseguimos ouvir. Com certeza isso já te aconteceu. Quanto maior a concentração, mais intenso é o Flow, e melhor é a qualidade do trabalho produzido.

Mas, infelizmente, a nossa atenção é limitada. Daí que o investimento dela em coisas importantes seja crucial. Porque os resultados que temos da vida dependem de onde gastamos a nossa atenção.


Attention can be invested in innumerable ways, ways that can make life either rich or miserable. - Mihaly Csikszentmihalyi

Com toda a liberdade de escolha e tecnologia que temos atualmente, deveria ser mais fácil entrar no estado de Flow. Mas sabes que não é isso que acontece. Cada vez há mais distrações. A TV, o facebook e o telemóvel, todos competem pela nossa atenção. Além disso somos fãs do multitasking, que divide a atenção por muitas coisas diferentes (umas menos importantes que outras).

Não podemos, nem devemos, voltar atrás no tempo e limitar as escolhas que temos atualmente. Mas, se queremos estar mais vezes em Flow e ser felizes, temos de reduzir essas distrações.

Attention is our most important tool in the task of improving the quality of experience. - Mihaly Csikszentmihalyi

The future will belong not only to the educated man, but to the man who is educated to use his leisure wisely. - C. K. Brightbill

3. Perda de auto-consciência

Quando estamos sozinhos e com pouca coisa para fazer, a mente começa a divagar para os problemas do dia-a-dia. Mas quando estamos em Flow, nada nos atormenta. Já não interessa se a nota do teste foi má ou se vamos conseguir ser promovidos. Durante o Flow, nem pensamos se estamos felizes ou tristes, porque a concentração está focada na atividade.

4. Sensação de tempo distorcida

Esta é fácil e acontece-nos a toda a hora. O tempo ganha uma nova dimensão durante o Flow. Passa mais devagar porque estamos conscientes de cada movimento que fazemos. Mas depois do Flow, parece que passou tudo muito rapidamente.

Hours pass by in minutes, and minutes can stretch out to seem like hours Mihaly Csikszentmihalyi

5. Feedback imediato

Não só é importante ter objetivos claros e alcançáveis, como também ter feedback imediato sobre aquilo que estamos a fazer. Se estiver a surfar numa aula, o instrutor irá corrigir a minha postura na hora. Se alguma coisa estiver errada, posso melhorar rapidamente.

Imagina que estás a trabalhar, e não tens noção alguma se o teu trabalho está bem feito ou não. Começas a ter dúvidas e ficas irritado - quebras o Flow. Por isso é tão importante ter um feedback rápido para que te sintas bem.

6. Equilíbrio entre as capacidades e o desafio

Se fazes uma tarefa muito básica, ficas aborrecido. Se por outro lado essa tarefa é demasiado complexa para as tuas capacidades, ficas stressado. De qualquer maneira, esses sentimentos incomodam e deixas de estar em Flow.

O Flow acontece na fronteira entre o aborrecimento e o stress, quando as nossas capacidades estão de acordo com o desafio proposto. Por isso, quando estás a aprender alguma coisa nova, tens de aumentar o desafio à medida que vais evoluindo. Só desta forma vais conseguir estar em Flow durante essa atividade.

Imagem retirada de http://www.psy.gla.ac.uk/
O gráfico acima realça bem o jogo entre as tuas capacidades e o desafio a que te propões. Começas, por exemplo, a praticar surf e ficas feliz por apanhar umas espumas e, de vez em quando, conseguires estar em cima da prancha (A1). À medida que vais evoluindo, melhoras as tuas capacidades, e agora consegues fazer o take-off em todas as ondas. Se não agarras outro desafio, e continuas a surfar as mesmas ondas com a mesma prancha, ficas aborrecido (A2). É nesse momento que deves melhorar o teu equipamento e passar para ondas mais complexas. Assim ficas em Flow novamente porque as tuas novas capacidades têm agora um desafio à altura (A4). Por outro lado, não deves começar a praticar surf com uma prancha pequena, porque aí o desafio é muito maior que as tuas capacidades e ficas stressado (A3).

Se queres estar em Flow mais vezes e durante mais tempo, tens de dominar este esquema. Aprende a reconhecer oportunidades para melhorar as tuas capacidades e continuar a evoluir no teu trabalho ou hobby.

Enjoyment appears at the boundary between boredom and anxiety, when the challenges are just balanced with the person’s capacity to act. - Mihaly Csikszentmihalyi

7. Controle pessoal sobre a atividade.

Se não pudemos, ou não achamos que pudemos, controlar o que fazemos, sentimo-nos impotentes. E não é possível estar em Flow se não tivermos poder de decisão sobre as nossas ações, porque nesse momento começamos a pensar nos problemas e a atenção foge dessa atividade.

8. A atividade é em si recompensadora, não exigindo esforço.

O dinheiro ou o poder nada interessam quando estamos em Flow. Nesse momento , fazemos qualquer coisa porque fazê-lo dá-nos prazer. Estamos à aprender pelo aprender em si. E, mesmo que a tarefa precise de esforço físico e/ou mental, nós não o sentimos.

Resumidamente, o Flow é a experiência ótima. Durante o Flow não pensamos em nós mesmos e fazemos a atividade porque ela é recompensadora por si própria. Não sentimos esforço e o tempo tem agenda própria. Temos objetivos muito claros e alcançáveis, feedback imediato, controlo total sobre as nossas ações, e as nossas capacidades estão em sintonia com o desafio proposto. Depois do Flow, ficamos mais fortes e felizes.

O Flow como chave para a felicidade

Estás a dedicar a tua atenção às coisas certas? Gostas do que fazes profissionalmente? É isso que queres continuar a fazer? Costumas estar em Flow?

Temos a capacidade para apreciar todos os momentos da nossa vida. Podemos estar em Flow ao conversar com uma pessoa interessante, ao ouvir música, ao ver um filme, ao comer e ao ver uma paisagem bonita. Mas infelizmente fazemos tudo à pressa e deixamos de apreciar as pequenas coisas do dia-a-dia.

Precisamos de treinar a mente para atingir altos níveis de concentração. Só assim ficaremos em Flow mais vezes e durante mais tempo. Ao focar a nossa atenção naquilo que é importante, evitando pressões externas, podemos alterar a nossa vida completamente através do Flow. Aprende também a meditar e a ser otimistaConhece as tuas forças, e respeita a tua personalidade.

Por último, inspira-te ao ler sobre pessoas que já passaram por muito na vida. Vai ajudar-te a escolher o melhor caminho para a felicidade, onde deves investir a tua atenção e quais devem ser as tuas experiências de Flow.

Those who try to make life better for everyone without having learned to control their own lives first usually end up making things worse all around. - Mihaly Csikszentmihalyi

Creating meaning involves bringing order to the contents of the mind by integrating one’s actions into a unified flow experience. - Mihaly Csikszentmihalyi

Of all the virtues we can learn no trait is more useful, more essential for survival, and more likely to improve the quality of life than the ability to transform adversity into an enjoyable challenge. - Mihaly Csikszentmihalyi

Artigos relacionados

Descobre as tuas virtudes e forças de carácter - maximiza o estado de flow

Já escrevi n'O Macaco de Imitação sobre tipos de personalidade. Considero que o primeiro passo em direção a uma vida mais feliz é conhecermo-nos a nós mesmos. A partir desse momento, consegues fazer escolhas que honrem aquilo que mais gostas de fazer. Nesses posts, podes ficar a saber qual é o teu tipo de personalidade, segundo Myers-Briggs, se és um generalista - alguém que têm múltiplos interesses - e se és otimista ou pessimista. Neste post vou acrescentar mais um aspecto da psicologia positiva, desenvolvido por Martin Seligman, que diz respeito às virtudes e forças de carácter.

As 24 forças de carácter. Imagem retirada de http://www.pro120.org.br/
O artigo surge da leitura de A Conquista da Felicidade, de Jonathan Haidt. Este é um livro fascinante, que nos ajuda a perceber a felicidade e todas as suas componentes. Inclui alguns tópicos interessantes - tais como a psicologia evolutiva, o budismo e a fórmula para a felicidade -  que com certeza irei explorar no futuro.
Capa da versão original de A Conquista da Felicidade, por Jonathan Haidt. Imagem retirada do site oficial do livro, http://www.happinesshypothesis.com.
Começa por fazer o teste das virtudes e forças de carácter acedendo a ESTE link (podes fazer o teste em português). Aprensento abaixo as suas componentes, mas, primeiro que tudo, vamos falar sobre o Flow.

O Flow

Podes não ter ouvido falar do Flow, mas com certeza já o sentiste. É aquela sensação de estares completamente focado numa tarefa. Nesse momento esqueces tudo o que está à tua volta. Acontece-me quando estou a programar, a ler ou a surfar. Nessas alturas não penso, não sei se estou feliz ou triste, porque simplesmente estou em piloto automático e a fazer aquilo que mais gosto de fazer.

O conceito de Flow foi proposto por Mihaly Csikszentmihalyi. Pedindo ajuda à minha amiga wikipedia, estes são os componentes de uma experiência de Flow:
  1. Objetivos claros (expectativas e regras são discerníveis).
  2. Concentração e foco (um alto grau de concentração num limitado campo de atenção).
  3. Perda do sentimento de auto-consciência.
  4. Sensação de tempo distorcida.
  5. Feedback direto e imediato (acertos e falhas no decurso da atividade são aparentes, podendo ser corrigidos se preciso).
  6. Equilíbrio entre o nível de habilidade e de desafio (a atividade nunca é demasiadamente simples ou complicada).
  7. A sensação de controle pessoal sobre a situação ou a atividade.
  8. A atividade é em si recompensadora, não exigindo esforço.
  9. Quando se encontram em estado de Flow, as pessoas tornam-se parte da atividade.
A psicologia positiva relaciona o Flow com a felicidade. Respeitando as tuas virtudes e forças de carácter, aprendes sobre o que é importante para ti e sabes o que precisas de fazer para entrar no estado de Flow frequentemente.

As virtudes e forças de carácter

Existem 6 virtudes que incluem as 24 forças de carácter desenvolvidas por Martin Seligman:
  1. Sabedoria e Conhecimento: criatividade, curiosidade, pensamento crítico, gosto pela aprendizagem e perspectiva.
  2. Coragem: perseverança, entusiasmo, ousadia, honestidade
  3. Humanidade: amor, bondade, inteligência Social
  4. Justiça: trabalho em equipa, equidade e liderança
  5. Moderação: perdão, humildade, prudência e autocontrolo
  6. Transcêndencia: apreciar a beleza e a excelência, gratidão, otimismo, humor e espiritualidade
Não entro aqui em detalhe sobre todas as forças de carácter, pois o artigo iria ficar muito extenso. Aconselho-te no entanto - depois de fazeres o teste - a leitura deste e deste artigos para perceberes mais sobre as tuas forças. 

Para o meu lado, conto com as forças "Gosto pela aprendizagem", "Apreciar a beleza e a excelência", "Criatividade", "Curiosidade" e "Equidade". Depois de saberes as tuas forças, começa resolver os problemas do teu dia-a-dia usando essas capacidades. Vais maximizar o tempo que estás em Flow e, dessa maneira, viver mais feliz.

Leitura seguinte

Nos dias de hoje, apesar do nível de riqueza ter aumentado na maior parte dos países, as pessoas não estão mais felizes. É por isso que a psicologia positiva - com a promessa de maximizar a potencialidade de cada um e aumentar a sua felicidade - é um campo muito interessante. 

Se quiseres saber mais sobre as virtudes, forças de carácter e o Flow - e a maneira como estes interagem na produção de uma vida feliz - aconselho-te alguns livros. Primeiro, começa por A Conquista da Felicidade. Tal como Martin Seligman disse "Para o leitor que procura entender a felicidade, o meu conselho é: Começa por Haidt". Sobre as forças de carácter, tens o livro Authentic Happiness, do próprio Seligman. Por último, sobre o estado de Flow, tens o livro Fluir, de Mihaly Csikszentmihalyi.

Se a auto-descoberta é o primeiro passo para uma vida mais feliz, mudar a maneira como pensamos será o segundo passo. Para aprenderes a gerir as tuas emoções, pratica meditação. Está comprovado como um dos exercícios mais eficazes para o aumento da felicidade. E só precisas de "investir" 10 minutos por dia. Do que estás à espera?

O Cisne Negro de Nassim Taleb (e como aprender a pensar)

Alguns livros são perigosos! Têm o poder de mudar a forma como pensamos para o resto da vida. "O Cisne Negro" de Nassim Taleb é um deles. Este foi o livro que me fez gostar de psicologia e "devorar" uma série de outros livros sobre economia, comportamento humano, hábitos, felicidade, etc. 
Durante muitos tempo pensava-se que existiam apenas cisnes brancos no planeta, porque nunca se tinha visto um cisne negro...até ao momento em que estes foram descobertos na Austrália! Nassim Taleb baptiza assim a sua teoria, baseando-se no facto de que este era um evento totalmente inesperado que mudou radicalmente a maneira como as pessoas pensavam na altura, pelo menos no que diz respeito a cisnes!
Este livro faz-nos pensar na razão pela qual as pessoas são fracas a prever aquilo que irá acontecer no futuro. Introduz-nos ao conceito de que, na maioria das vezes, o mundo muda consoante eventos não previsíveis tal como o surgimento da Internet ou o 11 de Setembro, ao invés de mudanças graduais, tal como somos levados a pensar.

O Cisne Negro explica como acontecem estes grandes eventos e como a natureza humana e a forma como pensamos nos impede de imaginar que possam surgir e mudar o mundo como conhecemos. A teoria do Cisne Negro tenta explicar:

  • O papel desproporcional destes grandes eventos, raros e difíceis de prever, que estão para lá de qualquer expectativa histórica, científica, económica ou tecnológica.
  • Porque razão é quase impossível calcular a probabilidade de ocorrerem usando métodos científicos, pelo simples facto de serem mesmo muito improváveis.
  • Os erros cognitivos que fazem com que indivíduos ou grupos de pessoas sejam "cegas" a pequenas probabilidades, inconscientes do papel decisivo que estes eventos têm em termos históricos.
Nassim Taleb nasceu no Líbano, é um ensaísta, académico e mestre da estatística. Este livro está incrivelmente bem escrito, tem piada, muitos exemplos retirados da vida quotidiana e expõe aspectos fascinantes sobre a natureza humana e como processamos o complexo mundo à nossa volta. O Sunday Times nomeou este livro como 1 dos 12 mais influentes desde a 2ª Guerra Mundial. Recomendo vivamente a leitura deste livro. Aqui ficam outros 3 livros de grandes nomes neste campo:


A leitura destes livros é um simples e divertido remédio para melhor pensar e reflectir sobre a forma como processamos informação e tomamos decisões ao longo da nossa vida.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.